Coaching Life

Transformando frustração em Ação

Nada dá certo para mim.

O que há de errado comigo?

Mais uma vez eu não consegui!

 Essas frases são familiares para você? Quantas vezes você errou ou não alcançou seus objetivos? Assim como eu, acredito que já tenha tido seus dias ruins. A diferença entre perdedores e vencedores está na forma de encarar esses dias.

A frustração pode ser definida como o estado ou condição de um indivíduo quando se vê impedido (por si mesmo ou por outra pessoa) de atingir a satisfação de uma necessidade de ordem pulsional.

Por esta definição observamos que a frustração é um estado, ou seja, não é permanente nem tampouco única. Observa-se também que está relacionada a um ponto de satisfação que advém de relação prévia criada por nós mesmos.

Quando entendemos a frustração como algo decorrente de um resultado aquém do planejado podemos inferir duas situações prováveis de causa: primeiro, o planejamento pode não ter sido bem feito; e segundo, o resultado pode ter sido mal projetado.

Estabelecendo estes pontos racionais a frustração se torna mais interessante pois nos possibilita uma investigação e nos gera uma reflexão: o que posso aprender com esse resultado?

Entretanto, não podemos nos esquecer das reações bioquímicas e físicas da frustração que podem ser avassaladoras. Estas reações são provenientes do sequestro instintivo causado pelo cérebro reptiliano (cérebro primitivo), que blinda nossa visão racional e nos leva a capacidade de entender e agir.

Precisamos controlar estes sequestros para poder transformar a frustração em ação. Ao entender esse processo emocional e perceber os gatilhos do sequestro racional podemos bloquear esse ciclo.

Os principais gatilhos da frustração são a vitimização, a arrogância, a procrastinação e a impulsividade. A vitimização nos leva a buscar culpados pelos nossos erros e nos impede de crescer e se desenvolver. A arrogância impede de aceitar os erros e buscar novas soluções nos jogando em um ciclo de insistência. A procrastinação provoca a perda de ação e por consequência nos leva sempre a desistir no meio do caminho. A impulsividade nos leva a tomar ações rápidas e impensadas, que na maioria das vezes nos trará arrependimento.

Para transformar a frustração em ação é necessário os seguintes passos:

1.      Veja o seu resultado apenas como um resultado.

2.      Não busque responsáveis, busque soluções.

3.      Entenda onde houve a frustração no planejamento ou na projeção.

4.      Pergunte-se: o que posso aprender com isso?

5.      Crie um novo plano de ação

Lembre-se: resultados são apenas resultados, o que vale mesmo é o conhecimento gerado e aplicado, pois isso sim gera valor.

Guia Rápido Para Realizar Suas Metas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *